Rascunho

Matéria frágil é o amor, amor. Por exemplo: uma bomba nuclear e ele já era. Por isso todo casal deveria antes, durante e depois de tudo ser amigo. Só a amizade e as baratas sobreviverão ao fim do mundo do amor.

Outra: encantamento é a coisa mais importante do mundo (petróleo nada, os carros são movidos a encantamento). É claro que acho a criatividade a coisa mais importante do mundo, mas vida deveria ser um pedaço de criatividade cercado de encantamento por todos os lados. Quero dizer, criatividade é a chama, conquanto encantamento é o fósforo, a caixinha, o sambista… e o paiol.

Michelangelo sabia das coisas, vide “A Criação do Homem”. Assim, todo teto é potencialmente uma Capela Sistina. Em suma, encantamento é algo frágil. Encantamento é um bichinho de pelúcia que fala, anda e sente e pensa. É uma pessoa de pelúcia. É a pessoa mais linda do mundo de pelúcia. A pessoa mais linda do mundo nua e de polainas de pelúcia. E te amando. Encantamento é tesão lírico – ou tesão e lirisimo. Mas é frágil como qualquer coisa que morre. Cuide do seu encantamento sob risco de virar cimento – ou rima vã. Aliteração – ou renavam. Enfim, figura de linguagem, retórica, balela, baleia… Pois a sombra do encantamento é pesada e esperneia. Esmaga sem maldade, mas esmaga, atropela, pisa. Tem gente que a gente vê no olhar a sombra do encantamento repisando.

Lembrei dos Paralamas: “Cuide bem do seu amor”. Ao contrário dos filmes e do desejo popular, se tiver de ser será, etc, o amor é o eterno pique até a porta do elevador fechando. Quer dizer, torça para que tenha alguém lá dentro, que te ouça gritar “segura, por favor!”, e, fundamentalmente, corra na direção dele(a).

Porque amor é vida na plenitude, assim, caminha para a morte, seu mar é o fim. Delicado jogo esse, sobre o arame sobre o abismo sobre o poema sobre a página sob os olhos. Em que aquilo é tudo na vida e ainda se tem a vida inteira – não no sentido de tempo, mas espaço. Por isso o casamento é meia pedra no caminho andado para o andor de barro da dor do fim do amor.

Há que se ter destreza para equilibrar tantos contorcionistas chineses, bigornas de cristal, tratores de papel, jumbos de mel… O amor é tão sinistro que te faz viver por contraste, oximoro velhaco – vide o texto.

O amor é o eixo da desmáquina. O amor é molhar a mão. O amor é qualquer coisa que qualquer um escreva, enfim. E esse é o perigo. E ainda bem. E ainda mal. E aí dá. Mas quem sou eu para falar de Roma?

Anúncios

57 Respostas para “Rascunho

  1. Nossa, esse sim é um artista de mil e uma facetas. Suas palavras são encantadoras, e ficam ainda mais quando o assunto é o amor, a maior essência do mundo. Parabéns, Michel!

  2. Texto maravilhoso. Michel tem uma grande hbilidade com as palavras, e as montam de forma ainda mais bela quando o assunto é o amor, a grande essência do mundo. Parabéns!

  3. Gostei muito do texto. Excelentes trocadilhos.

    Fala do amor e do encantamento com leveza e com uma dose de humor e malícia.

    Lembrei-me do livro O mundo de Sófia de Jostein Gaarder: “A única coisa que precisamos para sermos bons filósofos é nos encantarmos com as coisas”. Pelo visto, você é um devoto desta máxima.

    Abraços fraternos.

  4. Você me encanta por isso. Pela dura suavidade das palavras que profere. Pela capacidade de tornar doces os fios de tudo o que teces. Por dar vontade de devorar as pressas e, ao mesmo tempo, deixar dissolver na retina as imagens que vejo quando te leio e te ouço. Encanta(dor).

  5. Texto perfeito. O amor é isso aí mesmo…

  6. “Criatividade é a chama, conquanto encantamento é o fósforo…”
    Acho que o meu fósforo está aceso com a chama da criatividade, pois é simplesmente irresistível ler esse post e não ficar encantada com a sutileza de suas palavras .
    Espero que a chama da SUA criatividade esteja sempre acesa para que assim como eu, mais pessoas possam “viver o encantamento” que é ler as coisas maravilhosas que você escreve.

    Beijos! ;D

  7. Coisa triste essa, de passar anos, meses que sejam, com alguém que te vê do avesso, seja este literal ou não, e quando se vê… se a amizade não resiste a essa bomba atômica, viram dois estranhos passando pela mesma calçada.

    “mas vida deveria ser um pedaço de criatividade cercado de encantamento por todos os lados.”

    Obrigada!

  8. foi só isso… uma bomba nuclear e tudo, e eu digo tudo, acabou… inclusive a amizade…

  9. e ainda que queiramos discutir sobre o amor, vai ser sempre como o cachorro que tenta morder o próprio rabo. em vão.

  10. viva a arte do encantamento…

  11. ô melamed! ‘dorei o texto!

  12. E a arte final?

  13. Ahh, como é bom ler seus textos, novamente.

  14. Saudade dos seus textos. ‘O amor é qualquer coisa que qualquer um escreva, enfim.’Isso é perfeito a sintese de um sentimento que por mais diferente ocupando quaisquer forma, todo mundo uma hora sente. De repente.

  15. Sabes, eu não tenho essa habilidade de escrever o amor, na verdade, só sei sentir… o amor, a dor… enfim…
    Pero, amei o seu texto… e espero muitíssimo para me deliciar com o próximo.

  16. Suas palavras fazem com que até os mais descrentes no amor revejam seus conceitos, parabéns.

  17. Nossa! Me foi tão pessoal…impressionante!
    Fascinante! Que dom, esse seu!

  18. Se tudo na vida deveria ser criatividade rodeada de encantamento, seu texto está de parabéns.

  19. enquanto eu falo que amor é isso, você fala que amor é aquilo…Mas pode ser que o amor seja outra coisa. No entanto o amor é isso tudo.

    Gostei do texto.

  20. Se a conclusão do texto cabe nas linhas: ” O amor é qualquer coisa que qualquer um escreva, enfim. E ainda bem. E ainda mal.” Creio que é um fênomeno tanto destrutivo quanto criativo, um risco a correr e fugimos diversas vezes disso, por insegurança, talvez… Mas há uma hora em que tudo muda e notamos que a amar é a experiência mais profunda, intensa e dolorosa das nossas vidas. Porque antes de amar nós éramos impenetráveis, depois o nosso coração está ali materializado em um ser, batendo fora do nosso corpo! Mas o amor é um voto em que um jura para o outro que irão protegerem-se do resto do mundo, com o tempo eles vão descobrindo que a única coisa que os podem ferir são as palavras de um para o outro.

  21. Você bonito até ao avesso, e muito mais.
    E torna-se importante, sendo o encantamento a coisa mais importante do mundo, por encantar tantos corações e olhos que por sua vida passam, tenho certeza.
    Não deixe de nos escrever!

  22. Olá meu encanto… como vai??

    Me diz o que falar do seu texto e ser diferente dos outros??
    Sinceramente não tem como LINDO TEXTO ou melhor linda junção de letras que formam palavras, que lhe deram inspiração para essa criação…
    Michel sua sensibilidade, romantismo para a escrita me emociona, quando pequena já escrevi algo sobre o amor (tentei) mas com certeza não chegou aos pés do seu… parabéns.

    Ao meu ver descreveu certinho sobre o encanto, encantamento…não é a toa que lhe chamo assim…

    Beijo Carinhoso
    continue sempre assim viu?!
    Estou esperando ansiosamente pelo próximo texto..

  23. Só digo uma coisa: me encantei.

  24. Doi e toda dou é muito mais valida!!!!!!!!

  25. Numa das minhas versões do amor, cabe a ele o papel de território ocupado, golpe de estado, qualquer coisa politicamente incorreta que dá toda [falta] de sentido à delícia e ao caos que ele nos permite.

  26. O que sobra dos versos da prosa é lírico. A ganância da fome dos dedos. O titubear pra deixar desesperos. Frases que deixam resquícios:

    Quando ouvir as galinhas cacarejando alto, como se morassem do lado de casa. Arregale subitamente! Espie se há penas pelo canto da boca! Pois a compaixão inibe o que se sente no ato. O piar barulhento caduca os sentimentos, embora ainda transborde, por dentro. É que o amor atinge as memórias dos séculos, se desfaz quando suas vítimas desmancham pelos truques do tempo, mas permanece quente, eminente. É massa que se modula enquanto assistimos embasbacados seu rodopiar descompensado. É cismado. Navega nas quinas do cristalino e expande em cada impacto de tato. Basta respirar. Basta olhar firme e dialogar. Queria ter mais certeza ao afirmar! Ao falar em Roma o que se subtende é muito maior do que o que se pode palavrear. Então, pra que continuar?

  27. Amor tem que ser liberdade, tem que ser amizade. Mas amor eu descubro todo dia de uma forma, amor é confuso e indefinido… sou a-mor e estou lá no meio, estou no desejo, aquele que se encontra entre o amor(insanidade) e a razão(pior ainda)…

  28. Quem és tu para falar de Roma?

    Amor. Sempre Amor.

    O mar também é Amor.

    Roma. Romã. Amora.

    Aroma.

    Enchantée, monsieur.

  29. esse ammor é específico, e me encanta por flashes de surpresa. Parabéns e obrigado. Mesmo.

  30. bom eu ter cumprido minha mania de ler primeiro o último parágrafo pra depois ler o resto,
    encantador!

  31. renata santos da silva

    Só a amizade, as baratas e os automóveis sobreviveram ao fim do amor..
    Encantamento é tudo mesmo Michel, que o encanto nunca acabe, nem os sorvetes pra me encantar com as cores, nem palavras pra encantar o blog.
    Adorei!!

    Abraço!

  32. O que dizer de suas palavras? Apaixonantes? Eu não diria, pois paixão é fogo que se apaga… Reais e encantadoras tvz se apliquem melhor!
    Que bom seria se o encantamento não fosse pela ‘ideia’ que um tem do outro… Idealizar. As pessoas gostam disso! Quem dera fosse o contrário: encantamento pela ‘eu real’ da pessoa. Mais dificil encarar a realidade de cada um? Com seus medos, imperfeições… Criatividade! Seria ela a vilã? Criadora da ideia? Acho que não… A criatividade é mãe da arte, e a arte é pura liberdade! Que bom seria se todas as pessoas conseguissem ser livres! Livres para amar o real com todo o encantamento do mundo! Assim o mundo do amor nunca teria fim (nem de tempo, nem de espaço)…
    Parabéns Michel, pelas palavras maravilhosas! Encantou o meu dia!
    Abraço da cada vez mais fã.

  33. encantador. como sempre.

  34. Michel, eu amo você desde Capitu. Não assisti “Afinal, o que querem as mulheres”, mas espero o DVD.

    Sobre o amor… a paixão é pop e o amor é clássico. Não no sentido de velho, arcaico, caduco, mas no sentido de antigo, raro. E o fim do mundo do amor é um dilúvio com um arco celeste no céu. A propósito, você sabe qual o significado do arco-íris?

    O fim do mundo do amor é uma arca cheia de sobreviventes pronta para repovoar a terra. E um arco-íris no céu…
    Beijos.

  35. Você sabe usar tão bem as palavras… Consegue traduzir coisas que muitas pessoas sentem mas não sabem o que é, exatamente.

  36. Apenas : Continue escrevendo, sempre escreva, pois sempre lerei e ficarei inebriada.. ouso dizer, que de todos os poetas atuais existentes, tu és meu Poeta preferido (Machado de Assis e Mr. Shakespeare não fiquem enciumados! ) Suas palavras, seu jogo com as palavras, alimentam tanto o meu eu lírico, que agora me pego escrevendo Contos, ainda um pouco tímidos, mas Contos. Adorei o texto! Envolvente reflexão.
    Espero um dia poder te conhecer pessoalmente e pegar do meu poeta um abraço ou um autógrafo em meu livro, Regurgitofagia.

    Abrçs,
    Sophia Brito

  37. É o encantamento que leva à amizade, ao sexo, ao casamento e é a falta de encantamento que leva ao fim de toda essa caixinha de surpresas que se torna a fatal caixinha de lembranças do que foi. E não será. Não será todo o amor uma passagem entre a fugacidade e prazer para a porta da felicidade? E no começo do mundo há o fim do amor e no fim do amor há o recomeço e a vida enfim, já é uma bomba nuclear.
    E eu aqui escrevendo por não saber como correr na direção do elevador e pedir pra um tal de Michel ‘segurar, por favor’. Eu sempre escrevo antes, depois e ao invés do amor. Tenho 17 anos e o mundo continua com cada um que escreva de amor e não me conforta quanto a minha pouca experiências e fatais conclusões.
    Esse é um dos melhores espaços da internet, porque é um dos melhores espaços em mim. E além de tudo, quando penso nas escolhas que faço e que me fazem fazer e que me distanciam cada vez mais do que eu sou: palavras,escrita; aqui é o único lugar que não me repete: ‘você não vai chegar a nenhum lugar com isso’ . Ora além dos meus pais, muitos blogs parecem nitidamente dizer isso. Deve ser bom ter um dom e poder usá-lo.

  38. Darling,

    Barata: o único animal que tem acompanhado a raça humana desde o princípio.
    Adorei a referência!
    Sobre a fragilidade do amor: reconheço toda a tua delicadeza e responsabilidade ao falar sobre ele.

    Bjs,
    Sim.

  39. A única coisa que posso dizer é Gracias! Tua Graça me contagia , ins pira e alenta minha alma… Chega junto profundo e ressurjo mais leve então, sem vergonha, livre…

  40. O amor é isso: Absurdos combinados, contradições inesperadas e twittadas, tempo perdido e invenções para que esse tempo passe de uma forma que não dilacere a alma. Parabéns, maluquinho beleza!!

  41. Ninguém olha como tu olhas. Sobrevoas os terrenos mais ermos da nossa alma, vês coisas que ninguém vê, e ainda assim, perdoa, já, de antemão. De onde vem tamanha compaixão?

  42. passando a limpo… rsrsrsrsrsrs…

    ‘o mar é um HOMEM’… e ‘eu adormeço às margens de um HOMEM: eu adormeço às margens de um abismo.’ (parafraseando você e o Eduardo Galeano)…

    ‘Estou à beira da glória, e eu estou contando com um momento de verdade. Estou à beira da glória, e eu estou contando com um momento com você.’ (Lady Gaga)

    ps: \o/ achei… outro binômio: tesão e lirismo… rsrsrsrsrs ;)… e outro homemúsica… rsrsrsrsrs… apenas confirmando… rsrsrsrsrs…. isso… isto… é tão casal… rsrsrsrsrs

  43. Blue Valentine.

  44. o amor é o translúcido e furta-cor da bolha de sabão. sopra-se suavemente para que ganhe forma.e então,ele se mantém, diante de nós, pelo fio luminoso da fascinação por cada pequeno giro, por cada pequeno cintilar.e é necessário que se zele,para que não flutue distante com a primeira brisa. e que,também, não se tente nunca segurá-lo, ou ele estoura na nossa face, em olhos ardidos e boca amarga…

  45. Como dizes do amor ???Jogas palavras tão docemente e encantadamente
    mas as vezes vem sutilmente, como quem tem tudo na ponta da lingua.Não precisa dizeres nada porque seus pensamentos já falam o que sente, e contrariadamente é extremamente envolvente.Sinto raiva de mim mesma porque seus versos expertigantes adentram minha mente, flutuam em minha cabeça fazendo frases virarem imagens e lembraças voltarem do passado.Que encanto é esse que meus olhos não conseguem se afastar ???Então a raiva vai se tranformando e ocorre uma mutação de sentimentos, uma mistura indiferente que vai tomando conta do meu corpo de forma totalmente incontrolável.Sem que eu possa desdizer já estou completamente encantada,apaixonada,alucinada….
    E fico a pensar, será que é isso o que queres ??Será que é isso que pretendes ?? Ou será uma reação estritatemente pessoal ?Não sabendo todas as respostas, e sinceramente sem mesmo querer sabe-las continuo sempre a me perguntar , porque as perguntas me instigam,mantém meu interesse, espero que para sempre….

  46. ‘Michelangelo sabia das coisas’… vide também uma entrevista… opa! já existia isto?:) rsrsrsrs… quando lhe perguntaram como fazia para esculpir (divinamente os blocos de pedra… de mármore… etc…) e ele respondeu: ‘apenas tiro o que esta sobrando’… simples assim como a sua ‘Pietá’…

    obs.: parece uma versão antiga de: ‘qual seu processo de criação’… rsrsrs… que barato… rsrsrsrs acho que esta gíria também é das antigas… rsrsrs 😀

  47. Engraçado como todo comentário tende a superação do outro comentário alheio… é uma competição, e não foi por isso que terminei fazendo uma rima, não. (risos)
    Mas enfim eu resolvi postar de forma pura e sintética que esse texto me deixou sem fôlego.E muitas vezes isso nem vale muito pra quem está do lado de lá, de quem escreveu.Mas Amei, daqui do ultimo lugar do pódio.

  48. Melamed, parabéns… seus textos são como traduções da dinamicidade do que sinto, seja lá o que for. Nunca pare de escrever!

  49. Pingback: Michel Melamed-Rascunho « Messorama

  50. Me emocionou…

  51. Obrigada!
    Venho há um tempão tentando colocar esses sentimentos em palavras…

  52. Clébson D'Moura

    Reblogged this on Uno Apático.

  53. Penso que é de um texto assim que precisava para escrever um provável artigo sobre esse “AMOR”. Depois de tentar estudar e pesquisar sobre esse “SENTIMENTO”? Acabei por me apaixonar por meu objeto de estudo, o que me fez perceber o quanto este conceito proferido enlouquecidamente e quase sempre desprovido de significado algum, talvez não possa ser definido, e, talvez, até seja grande demais o significado que o damos, enquanto ele somente tem a pretensão de passear por nossos sentidos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s